O inverno está aí e a convivência com ele este ano será até o dia 22 de setembro. Durante este período, o ar mais frio pode irritar as vias aéreas com mais frequência. Isso afeta a saúde e contribui ainda mais para o aparecimento de sintomas alergênicos nas pessoas predispostas.

E com cerca de 30% da população mundial sendo acometida por alergias, segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), é preciso redobrar os cuidados com a saúde no inverno

A Doutor THEO Clínicas Médicas no Rio de Janeiro, fala sobre as principais doenças da estação mais fria do ano e dá dicas de como cuidar da saúde no inverno aqui, nesta postagem.

Inverno e clima

No inverno, o tempo fica mais seco e a umidade relativa do ar tende a ficar abaixo da ideal. Esse contexto natural estimula uma maior circulação de vírus, como o da gripe, o do resfriado e, inclusive, o que causa a COVID-19. Esses microrganismos, em geral, se adaptam melhor ao frio que ao calor.

Além disso, os níveis de poluentes no ar aumentam, o que pode contribuir para uma maior irritação das vias respiratórias. A inversão térmica, por sua vez, potencializa os efeitos da poluição, porque a camada de ar frio, mais pesada que a do ar quente, desce para a superfície terrestre e retém ainda mais poluentes na atmosfera.

Este ar mais frio também tende a irritar mais intensamente as vias aéreas, e aqueles que têm o sistema respiratório mais fragilizado podem ser acometidos por sintomas alérgicos. A dificuldade para respirar e a coriza são alguns desses sintomas.

Este cenário é perfeito para contaminações e para um agravamento das doenças respiratórias. Por este motivo, é necessário redobrar os cuidados com a saúde no inverno.

Como evitar doenças de inverno e manter a saúde

Para fugir do frio, as pessoas geralmente costumam manter os diversos ambientes em que circulam e habitam, como escritórios, casas e até mesmo transportes públicos, fechados. Essa aglomeração facilita a disseminação de vírus, bactérias e outros agentes infecciosos e, consequentemente, o contágio.

Por isso, asma, rinite, bronquite, resfriado, pneumonias, gripes, alergias, otites, amigdalites e sinusites são doenças que podem ocorrer com mais frequência no inverno, debilitando a saúde daqueles que estão com a imunidade mais baixa.

E, como se disse anteriormente, essas doenças são potencializadas, muitas vezes, pelos hábitos das pessoas que, ao invés de manter o ar circulando, fecham janelas e portas para evitar o ar mais frio e seco do inverno.

Os cuidados com a saúde no inverno podem ser simples de tomar. As principais dicas são:

– hidratar abundantemente o organismo. Beber muita água;

– evitar se expor a ambientes com muita poeira ou fumaça;

– manter os ambientes arejados. Mesmo que esteja frio, é importante deixar o ar circular dentro dos lugares. Por isso, evite locais fechados o máximo possível;

– expor cobertas e roupas de frio ao sol sempre que possível;

– caso exista predisposição para problemas respiratórios, é ideal que se evite o contato com bichos de pelúcia, carpetes, cortinas ou produtos que possuem pelos;

– respirar mais pelo nariz do que pela boca, pois ele filtra e aquece o ar quando entra no organismo;

É bom somar a esses cuidados, a opção por uma alimentação balanceada. Essa atitude é fundamental para aumentar a imunidade. Sopas e caldos ricos em verduras e legumes são ótimos aliados, assim como as frutas, principalmente as que possuem vitamina C.

É fundamental lembrar novamente que os vírus são transmitidos pelo ar e a maioria deles prefere o frio ao calor, como o novo Coronavírus. Portanto, é imprescindível seguir as orientações da OMS e do Ministério da Saúde protegendo-se também com o uso de máscara e mantendo a higiene das mãos usando álcool em gel constantemente.

Caso seja necessário, consultas de rotinas com médicos de confiança também são recomendadas para orientações mais adequadas aos diferentes tipos de funcionamento dos organismos.

A Doutor THEO Clínicas Médicas no Rio de Janeiro possui médicos especializados e interessados em cuidar da saúde dos pacientes para mantê-los livres das doenças. Acesse o site.